segunda-feira, 30 de abril de 2007

CASA DA ILUSÃO

O corpo é a casa
Onde mora a ilusão.

Os olhos, a janela
Do meu coração.

Procurei!
Ah, como procurei!
Até com os pés descalços,
Pela vida labutei.

Lembro-me que não sabia
Como é tão natural
Habitar o planeta Terra.
O povo é que complica.

É tão simples
A poesia da vida...

Animais: carne, cérebro, coração!

Um comentário:

Marcia disse...

Celso, Muito legal o mundamunistas. Foi uma revelação essa sua alma poeta. Parabéns, e estarei sempre aqui.